TelasAmigas alerta sobre o uso inadequado do Twitter entre adolescentes e elabora um decálogo de recomendações

Naughty_tweet
  • Esta rede social está convertendo-se em uma nova ferramenta de comunicação entre adolescentes que se soma ao uso do Orkut, Facebook e Whatsapp
  • Uma indiscrição, um erro ortográfico, um rumor, um comentário humilhante, uma difamação, uma ameaça ou a revelação de fotos intimas são males que se ampliam e expandem nesta rede social.

As ferramentas em forma de aplicativos que temos à disposição evoluem a cada dia. A população adolescente costuma ser a primeira em usá-las, pois fizeram do smartphone uma extensão do seu próprio corpo. Se uma aplicação lhes oferece algo útil, se faz algo melhor do que outras, seu uso corre como pólvora e fica instalada entre os botões preferidos do telefone inteligente, embora durante um tempo variável e sempre limitado: semanas, meses ou inclusive anos nos casos de maior êxito.

Assim manifesta Jorge Flores, fundador e diretor de TelasAmigas, “não há melhor observatório do que o contato direto e permanente com os jovens. Estamos nos centros educativos cada dia e ali perguntamos e nos confessam suas últimas preferências. Há poucos meses nos surpreendeu como, aos 13 ou 14 anos, muitos começam a incorporar o Twitter entre suas ferramentas do cotidiano. Esta tendência segue crescendo e embora não haja estudos que respaldem o dado atualmente na Brasil , se trata de uma realidade palpável que emergiu e, como outras, com muita celeridade.

O que o Twitter contribui aos adolescentes?

Dispõem de Orkut, Whatsapp, Facebook…, por que o Twitter? Eles confessam em muitos casos que é uma ferramenta que começou a ser aceita não só como canal de informação, mas que serve inclusive para participar de conversas e fóruns através do uso de hashtags: se vê na imprensa rosa, nos programas de esportes, na publicidade… A partir daí começam a usar a ferramenta para comunicar em 140 caracteres, de forma aberta ou a um grupo limitado.

Diferente das redes sociais tradicionais, não precisa de contato prévio e, ao contrário do Whatsapp, muito menos número de telefone. É rápido de instalar e utilizar, simples, gratuito, não pede dados pessoais nem revela relações, permite compartilhar fotos e vídeos, tem integração com outras redes sociais e não usa publicidade invasiva: múltiplas vantagens e oportunidades abraçadas por meninos e meninas.

A aterrisagem, ou melhor, a decolagem de menores no Twitter está crescendo como o estão as contas de perfis de pessoas adultas. Assim, um estudo da Pew Research Center aponta que cada vez mais adolescentes migram ao Twitter: desde setembro de 2009 até julho de 2011 a porcentagem de adolescentes de 12 a 17 anos no Twitter duplicou de 8% para 16%.

Com dados mais recentes, o estudo sobre o comportamento dos adolescentes online da McAfee de junho de 2012 revelou que depois do Facebook (89,5%), Twitter é a rede social mais popular (48,7%).

Mal uso do Twitter: cyberbullying e delitos contra a intimidade, a honra e a imagem

Ainda que as características principais desta rede sejam sua horizontalidade, viralidade e imediatismo, isto fez com que surgissem ou agravassem determinados problemas. Segundo Jorge Flores, “grande parte do problema tem suas origens em três causas. Em primeiro lugar, escrevem como se fossem o mural de sua rede social fechada: não percebem o restante da audiência e suas possíveis relações. Em segundo lugar, desconhecem as consequências legais de suas ações. Por último, o imediatismo: como muito 140 caracteres, no máximo 30 segundos, aqui e agora…  E pronto! Em certas ocasiões é um descuido, mas quase sempre é por pura imprudência e infelizmente, em outras ocasiões, por má fé, já que é uma forma simples de prejudicar alguém”. O caso ocorrido em Cádiz, Espanha, com a difusão inicial e a replicação irresponsável das imagens de três adolescentes em ato sexual é o último caso que alarmou a sociedade.

Segundo o estudo de McAfee citado, 92,6% dos adolescentes foram testemunhas de cyberbullying através do Facebook e 23,8% no Twitter.

Decálogo de TelasAmigas para um uso seguro e responsável do Twitter

Com o objetivo de promover a reflexão sobre os aspectos chave para o uso sem riscos do Twitter, TelasAmigas elaborou dez recomendações:

1. Configure a privacidade da sua conta se deseja controlar quem lhe segue.

2. Use uma boa senha, mude-a de vez em quando e não a compartilhe.

3. Se alguém incomoda você, peça ajuda a alguma pessoa de confiança e bloqueie e ignore quem o faz.

4. Evite realizar  tweets que possam prejudicar emocionalmente outras pessoas ou ofendê-las.

5. Não esqueça que você é responsável pelo que escreve, mesmo que sua identidade não seja revelada.

6. Tenha em conta que um tweet público pode chegar também a quem não te segue.

7. Lembre que o Twitter é uma rede interconectada onde um comentário inapropriado pode ser visto por quem menos você imagine ou lhe convenha.

8. Pense bem antes publicar um tweet. Twitter é um espaço público de amplo alcance e usá-lo têm implicações importantes.

9. Fuja de conflitos desagradáveis. Compartilhar opiniões é positivo, mas existem pessoas e situações que podem trazer problemas.

10. Certifique-se se o que você escreve afeta a privacidade das demais pessoas e como isso pode lhes influir.